REGRAS PARA COMENTÁRIOS - VÁLIDAS A PARTIR DE 19/07/2014

Este blog trabalha com material considerado polêmico, conspiratório e desconhecido para muitos, por isso torna-se necessário estabelecer algumas regras para comentar nele.

Este blog não publicará comentários que contenham:

- xingamentos e ameaças por opiniões políticas que não condizem com as suas;

- discursos de ódio contra quaisquer partidos ou políticos;

- discursos de ódio contra raças, religiões ou opção sexual;

- Machismo / feminismo;

- discurso em defesa de vertentes políticas como nazismo, fascismo e equivalentes;

- os termos "socialismo", "socialista", "comunismo", "comunista", em qualquer de seus significados;

- discurso religioso (trechos de livros, Bíblia, defesa de pastores / igrejas, e equivalentes);

- contra-informações falsas (nós pesquisaremos todas as contestações às nossas postagens, e somente postaremos sua resposta se ela tiver algum fundamento e nenhum dos discursos citados acima);

* Outros termos e situações serão analisados antes de postarmos qualquer comentário.

OS NOVOS FÜHRERS! THE NEW FÜHRERS!

OS NOVOS FÜHRERS! THE NEW FÜHRERS!

Ferguson: Crise Racial Cresce e Se Torna Violenta Nos EUA



Depois que um policial matou um jovem negro sem motivo algum na cidade de Ferguson, Missouri, nos Estados Unidos, uma crise racial tomou conta do local e se transformou em uma guerra violenta no decorrer dos dias. A cidade, de população predominantemente negra, tem prefeito e a maioria dos policiais brancos.

Os residentes de Ferguson encontram-se agora com os braços estendidos, mãos para cima e gritando "não atire", enquanto policiais armados e portando máscaras de gás ocupam as ruas com tanques e veículos blindados, jogando latas de gás lacrimogêneo contra os cidadãos indignados com a violência policial.



Ao mesmo tempo que os moradores são atacados, os jornalistas se encontram diante do cano das armas da polícia que apressadamente confisca seus materiais e os joga na cadeia para impedir que as imagens da crueldade e das granadas jogadas contra as multidões de manifestantes revoltados cheguem ao público.

Enquanto o mundo assiste horrorizado, a crise racial se intensifica. A polícia agora usa tanques e diz que as pessoas devem ficar dentro de suas casas, quietas e passivas, "ou o risco de serem atingidas por balas de borracha ou inalarem gás lacrimogêneo é grande".



O mais alarmante é que não só a violência policial aumentou, mas também houve uma rápida ascensão no uso da força desproporcional por parte da polícias a partir do momento em que os cidadãos começaram a fazer fila em frente às zonas eleitorais para obter seus títulos e votarem na próxima eleição. O Estado não gostou da atitude do povo e passou a reprimir com violência massiva.



O governo Obama, que trouxe promessas de mudanças e integração racial, tornou-se o pior inimigo das raças não-caucasianas, especialmente os latinos, negros e árabes.

Papa Francisco Revela Que Seu Papado Não Passará de 2017; Familiares Morrem Em Acidente na Argentina



Depois de uma breve visita à Coreia do Sul, o Papa Francisco deu entrevista durante o voo de retorno ao Vaticano e revelou que não espera ficar à frente da Santa Sé "mais do que dois ou três anos".

"Tento não pensar nos meus pecados e erros para que eles não me venham à cabeça, porque sei que isso durará pouco tempo. Dois ou três anos, depois vou para a Casa do Senhor", disse Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, de 77 anos.

Francisco também admitiu que não descarta a hipótese de se "aposentar" do papado, como fez Joseph Ratzinger, caso perceba que suas limitações de saúde o impedem de levar a fé aos fiéis.

Bergoglio vive sem um dos pulmões desde a adolescência, quando teve que fazer uma cirurgia para a retirada devido a uma infecção grave. No voo, ele comentou ligeiramente que sofre de uma "doença de nervos".


PARA FRANCISCO, JÁ VIVEMOS A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

O Papa também falou sobre as guerras pelo mundo, dizendo que "vivemos a 3ª Guerra Mundial em fragmentos". Francisco condenou o uso da força desproporcional referindo-se, sem citar nomes, aos conflitos no Oriente Médio.

O líder da Igreja Católica também condenou as ações dos EUA no Iraque. "Quando há uma agressão injusta, posso dizer que é lícito parar o agressor. Mas ressalto o verbo parar, porque isso não significa bombardear ou fazer uma guerra".


TRAGÉDIA NA FAMÍLIA

Três familiares do Papa Francisco, dois sobrinhos-netos e a mãe de ambos, morreram nesta terça-feira (19) em um acidente de trânsito na província argentina de Córdoba, informou a AFP.



"O Papa foi informado do trágico acidente ocorrido na Argentina com alguns de seus familiares e está profundamente triste. Pede a todos que participem de sua dor unindo-se a eles em orações", informou em comunicado o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

O acidente aconteceu pouco depois da meia-noite, quando a família Bergoglio transitava pela auto-estrada Rosario-Córdoba. O carro bateu na traseira de um caminhão que transportava milho e a polícia investiga as causas do acidente.

"Os falecidos são dois bebês, de 8 meses e 2 anos, e a mãe de ambos, enquanto o esposo de nome Horacio Bergoglio, sobrinho do Papa, encontra-se internado em estado grave", declarou a delegada Carina Ferreyra da polícia de Córdoba.

O sobrinho do papa está internado no hospital de Villa María com politraumatismos, mas até o momento não foi divulgado um boletim oficial sobre a gravidade dos ferimentos. Horacio Bergoglio é filho de Alberto, o falecido irmão do pontífice.

O condutor do caminhão, Raul Pombo, disse a redes de televisão locais que sentiu o impacto e encontrou o veículo preso debaixo do caminhão. “Comecei a parar os veículos que passavam para pedir extintores, porque o carro estava pegando fogo”, afirmou Pombo.

O chefe da polícia rodoviária local, Jorge Rainieri, classificou o impacto como “forte”, e imagens de TV mostraram os destroços retorcidos do carro.

Compilado de informações: BOL / UOL, Terra, G1, SIC Notícias, Reuters.

Marina Fez Campanha Durante Velório de Campos



Além de palavras de ordem e camisetas com frases de efeito, o velório do candidato Eduardo Campos, que morreu na última quarta-feira 13 em um trágico acidente aéreo, teve pedido de votos para sua provável substituta: Marina Silva.

No evento que chegou a ter 140 mil pessoas ao longo de toda a cerimônia, desde a madrugada de sábado, militantes do PSB entregaram folhetos do PSB, de Eduardo e Marina, e que agora pediam votos para a ex-senadora.

Uma militante, ao ser questionada sobre quem teria mandado o “recado”, respondeu: “Eduardo, que agora é Marina”.

Ela se referia à frase “não vamos desistir do Brasil”, dita pelo ex-presidenciável em sua entrevista ao Jornal Nacional um dia antes do acidente, e que virou lema da campanha do partido.

Ele falou: ‘não vamos desistir do Brasil’. Então quem é? Se Deus levou ele, vamos respeitar”, disse a militante.

Assista abaixo no vídeo:


_________________________________________________________________________________

Falaram tanto em respeito, mas nem eles respeitaram a família e o morto. Marina inclusive tirou foto com militantes e fez pose apoiando-se no caixão!

A explicação para isso? Foi tudo um mal entendido. Claro, pose sobre o caixão é "normal".






Tática Velha: Globo Não Deixou Dilma Falar Em Entrevista

Parece mentira, mas existe uma ditadura "Globista" no Brasil.

É aquela que dá espaço para um falar besteiras e omite verdades ditas pelo outro.

Aconteceu na entrevista de Dilma ao Jornal Nacional - ou "sensacionalismo em primeira página".

Dilma respondeu todas as questões, mesmo quando os entrevistadores não paravam de falar para não deixar que as pessoas entendessem o que se dizia.

É a tática da Globo: dramatize e omita.

Aconteceu com Lula em 1989. Roberto Marinho admitiu que Collor foi beneficiado pela equipe de maquiagem e cenário da Globo, que passou glicerina em seu rosto para parecer suor e providenciou as pastas vazias com os tais dossiês inexistentes.

Dilma disse que não sabia de onde Bonner estava tirando informações tão sensacionalistas e mentirosas, sendo cortada antes que pudesse desmascarar que ali existia uma espécie de complô digno de novela das 8 para tentar diminuí-la.

A quem é sério e sabe que existe manipulação, de nada adiantou.

Quem é contra somente porque odeia o povo, aplaudiu.

Teorias Tentam Explicar Ruídos Gravados Pelo Mundo



Nos últimos anos, nas regiões mais diversas do planeta, foram registrados sons arrepiantes que, por sua vez, geraram especulações de todo o tipo sobre sua origem, ainda desconhecida até hoje. Embora a maior parte desses ruídos tenha sido gravada durante o mês de janeiro de 2012, existem outros casos similares, antes e depois. E são praticamente incontáveis os vídeos que circulam no YouTube, mostrando assustadores ruídos de baixa frequência, que parecem vir da atmosfera ou do próprio ranger da Terra.





Para citar apenas alguns exemplos, há vários anos, os moradores da cidade de Taos, nos EUA, ouvem um ruído estranho e muito similar a um motor movido a diesel, que parece vir de algum lugar próximo, embora seja impossível precisar qual. Para aumentar o mistério, o som é escutado apenas pelos residentes locais – nunca pelos turistas. Além desse, vale lembrar também o “zumbido de Bristol”, no Reino Unido, testemunhado por centenas de milhares de pessoas durante a década de 70.

A revista Naked Science fez um resumo das possíveis origens desses ruídos, agora registrados extensivamente graças às inovações tecnológicas, que permitem gravar os áudios a qualquer hora e em qualquer lugar.


Teoria apocalíptica

Advém de muitas culturas que guardam lendas sobre um final de mundo anunciado por chifres e trompas, como é o caso dos hebreus e o som do shofar, ou o da mitologia escandinava, que afirma que o fim do mundo virá através do chamado de um chifre de ouro denominado Gjallarhorn. Já a mitologia grega menciona gigantes de cem braços enterrados pelos deuses no centro da Mãe Terra e que soltariam um odor forte, fazendo a natureza gemer.





Teoria industrial

São muitos os que recorrem a razões tecnológicas para explicar os ruídos estranhos da Terra. Isso aconteceu, por exemplo, com os sons que foram gravados em Kiev, em 2011, quando os mesmos foram relacionados às obras realizadas nas imediações da cidade. Algo parecido ocorreu com o “zumbido de Taos”, nos EUA, embora ninguém tenha explicado por que, em 2012, esses mesmos ruídos foram registrados simultaneamente no resto do planeta.





Teoria geofísica

Alguns pesquisadores afirmam que os ruídos provenientes do movimento do magma e das placas tectônicas podem se amplificar antes e durante os terremotos. Existem maneiras de prever os movimentos sísmicos através dessas advertências sonoras, apesar de ninguém ter explicado os enigmáticos gemidos terrestres registrados em zonas sem atividade sísmica.




Teoria climática

Outra explicação científica vincula os ruídos da Terra a fenômenos climáticos naturais. A ruptura das ligações de hidrogênio, quando o gelo se derrete, gera uma determinada energia, que gera um ruído baixo, o qual, quando se apresenta em grandes quantidades, pode ser audível como um zumbido.


FONTE: History (texto traduzido) / RT (matéria)

Julian Assange Fala Sobre a Verdadeira Intenção de Israel e Avisa Brasil Sobre Capacidade dos EUA



Asilado na Embaixada do Equador em Londres há mais de dois anos, o fundador do Wikileaks Julian Assange revelou em entrevista os seus conhecimentos sobre os conflitos entre Israel e Palestina, Rússia e Ucrânia, e falou sobre alguns cuidados que o Brasil precisa tomar para não ser alvo dos EUA. Ele também falou do Google, Facebook e o "Big Brother".

Seguem trechos da entrevista cedida via videoconferência em 10 de agosto de 2014.


ISRAEL x PALESTINA

"Documentos de 2006 mostram que o verdadeiro objetivo de Israel é exterminar com a Palestina, tomar todo o território. O subchefe do Estado-Maior israelense enviou comunicado à Embaixada dos EUA em Tel Aviv, logo após o conflito com o Líbano em 2006, dizendo que Israel tinha a intenção de continuar com sua Doutrina Dahiya na Palestina. Essa estratégia visa a destruição dos valores, trata as regiões de onde disparam como alvos e usa deliberadamente a força desproporcional. O objetivo é destruir a população, matar todos. É um crime de guerra dos mais brutais."


RÚSSIA x UCRÂNIA

"Ainda em 2008 a Rússia deixou claro para os EUA que retomaria a Crimeia, então eles não podem dizer que não sabiam de nada e que tudo veio como surpresa e é um ato de guerra. Os EUA estão usando esse pretexto para uma nova 'Guerra Fria unilateral' contra a Rússia. Essa mesma estratégia está sendo aplicada contra a China e países ao sul dela, que incluem o Vietnam."


BRASIL

"O ato da presidente Dilma Rousseff de se negar a ir aos EUA falar com Obama foi uma demonstração de independência do país que deve ser aplaudida, mas pode acarretar problemas que mostrarão que o país ainda não está tão independente quanto deveria. Outro passo importante e ao mesmo tempo arriscado é a nacionalização das leis da internet [Marco Civil], que impede que o governo regule informações e o que se acessa ou não no ambiente virtual. Isso impede a ação de grandes empresas que, por sua escala, agem como governos.

Para o Brasil ser totalmente independente dos EUA, é preciso fazer sua internet passar por outros territórios. No momento, a NSA [Agência de Segurança Nacional dos EUA] intercepta todas as telecomunicações que entram e saem do Brasil porque tudo passa pelo território norte-americano. O governo brasileiro precisa declarar essa independência, mas também precisa se preparar para enfrentar possíveis sanções como estão sendo impostas à Rússia. Os EUA são capazes de isolar o Brasil do resto do mundo a qualquer momento, por isso é urgente a necessidade de redes de telecomunicação que passem fora do território deles."


GOOGLE, FACEBOOK E VIGILÂNCIA

"Todos vemos o Google como um serviço útil, mas a verdade é que nos últimos dez anos ele se tronou grande e mau. Ele se uniu ao governo dos EUA de uma maneira preocupante e incomum. Uma empresa tão grande e com acesso a tantas informações não poderia estar à disposição do Departamento de Estado norte-americano, mas atualmente dá acesso a informações de mais de 1 bilhão de pessoas para o setor industrial.

Através do Android, presente em 80% dos smartphones atuais, o Google obtém informações privilegiadas sobre o comportamento e localização das pessoas. Essas informações caem diretamente no colo da inteligência dos EUA. O Facebook faz a mesma coisa. Sem que percebamos, eles nos seguem, sabem onde vamos, o que fazemos, o que compramos e até o que falamos e pensamos."


É POSSÍVEL FUGIR DO BIG BROTHER?

"É quase impossível. Estar fora do sistema de coleta de informações dos EUA só pode ser conseguido se você não tiver contato nenhum com computadores nem com as pessoas que os usam. Simplesmente porque se você não relatar na rede o que você fez ou vai fazer, seus amigos vão fazê-lo. Nem o governo do Brasil está livre disso - os EUA invadem os computadores dele todos os dias.

A esperança está no crescimento da demanda de smartphones com programas de mensagens e sistemas criptografados, que infelizmente não saem do papel com a rapidez necessária porque há muita burocracia por parte das empresas e setores comerciais, além das tentativas dos EUA de impedir isso. Nos últimos dois anos a população mundial tem tomado consciência do que está acontecendo, mas vai demorar mais uns dois anos para que os produtos criptografados que conseguem proteger algumas informações sejam lançados."

Wikileaks: EUA Armam e Financiam "Rebeldes" Árabes



Os Estados Unidos se recusaram a ajudar o governo da Síria a combater grupos radicais islâmicos como a Al-Qaeda e o ISIS (Exército Islâmico do Iraque e da Síria, que recentemente mudou de nome para Estado Islâmico). Além disso, segundo revelações feitas pelo site Wikileaks, o governo norte-americano armou grupos como o ISIS. Os quase 3 mil documentos sobre essa questão foram vazados pelo site dirigido por Julian Assange na sexta-feira 8 de agosto.

Em 18 de fevereiro de 2010, o chefe da inteligência síria, general Ali Mamlouk, apareceu de surpresa em uma reunião entre diplomatas norte-americanos e Faisal a-Miqad, vice-ministro das relações exteriores da Síria. A visita de Mamlouk foi uma decisão pessoal de Bashar al-Assad, presidente sírio, em mostrar empenho no combate ao terrorismo e aos grupos radicais islâmicos no Oriente Médio, assinala o documento.

Neste encontro com Daniel Benjamin, coordenador das ações de contra-terrorismo dos EUA, “o general Mamlouk enfatizou a ligação entre a melhoria das relações EUA-Síria e a cooperação nas áreas de inteligência e segurança”, afirmam os diplomatas norte-americanos em telegrama destinado à CIA, ao Departamento de Estado e às embaixadas dos EUA em Líbano, Jordânia, Arábia Saudita e Inglaterra.

Para Miqad e Mamlouk, essa estratégia passava por três pontos: com o apoio dos EUA, a Síria deveria ter maior papel na região, a política seria um aspecto fundamental para ações de cooperação contra o terrorismo e a população síria deveria ser convencida dessa estratégia com a suspensão dos embargos econômicos contra o país. Para Imad Mustapha, embaixador sírio em Washington, “os EUA deveriam retirar a Síria da lista negra”. Nas palavras de George W. Bush, o país fazia parte do “eixo do mal”, junto com Coreia do Norte e Afeganistão.

Apesar da discordância entre EUA e Síria quanto ao apoio de Assad a grupos como Hezbollah e Hamas, os dois países concordavam quanto à necessidade de interromper o fluxo de guerrilheiros estrangeiros para o Iraque e impedir a proliferação de grupos radicais, como a Al-Qaeda, o ISIS e o Junjalat, uma facção palestina com a mesma orientação política. Para Benjamin, as armas chegavam ao Iraque e ao Líbano contrabandeadas pelo território sírio.

Mamlouk reforçou a “experiência síria em combater grupos terroristas”. “Nós não ficamos na teoria, tomamos atitudes práticas”, foram as palavras do chefe de inteligência de Assad. Segundo o general, o governo sírio não mata ou ataca imediatamente esses grupos. “Primeiro, nós nos infiltramos nessas organizações e entendemos o funcionamento delas”. De acordo com Damasco, “essa complexa estratégia impediu centenas de terroristas de entrarem no Iraque”.

No entanto, apesar de afirmarem cooperar com a Síria para combater o terrorismo, os EUA também trabalharam para armar os opositores sírios e isso causaria um problema maior na região: a criação do atual Estado Islâmico. Segundo documentos obtidos pelo jornal britânico Guardian, grande parte do armamento utilizado pelo ISIS veio de grupos armados pelos EUA e cooptados por Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Califado Islâmico, que hoje controla territórios na Síria e no Iraque.

Saddam al-Jammal, líder do Exército de Libertação da Síria, outro grupo anti-Assad, também jurou lealdade ao Estado Islâmico desde novembro de 2013. Para garantir tal apoio, o ISIS mudou a sua estratégia de controle: dava autonomia a essas autoridades locais em vez de controlar diretamente a governança das cidades. Como resultado, o ISIS se expandiu e conseguiu lutar em cinco frentes: contra o governo e os opositores sírios, contra o governo iraquiano, contra o Exército libanês e milícias curdas.

O armamento começou a ser enviado para os opositores sírios em setembro de 2013. Na época, analistas davam o ISIS como terminado e a alegação para fortalecer esses grupos era a de que o governo Assad havia usado armas químicas. Para enviar as armas, o governo Obama usou bases clandestinas na Jordânia e na Turquia. Aliados dos EUA na região, como Arábia Saudita e Catar, também forneceram ajuda financeira e militar.

Ironicamente, os EUA sabem inclusive a real identidade do líder do Califado. Durante um ataque à cidade iraquiana de Falluja em 2004, os norte-americanos prenderam alguns dos militantes pelos quais procuravam. Entre eles, estava um homem de 30 e poucos anos e pouco importante na organização: Ibrahim Awad Ibrahim al-Badry. 10 anos depois, ele se tornaria líder da mais radical insurgência islâmica contra o Ocidente, segundo informações de um oficial do Pentágono.


NÃO EXISTE TERROR INTERNO NO ORIENTE MÉDIO

Apesar dos clamores dos EUA para o extermínio do terrorismo no Iraque, Síria e arredores, são pessoas recrutadas e armadas pelos Estados Unidos, todas invariavelmente sem ligação alguma com o Islamismo, que promovem o terror naquela região. A mídia comprada mostra só o que lhes dizem para noticiar, geralmente agindo como papagaios que repetem textos cuidadosamente elaborados pela Inteligência dos EUA.

A realidade é que o que a TV descreve como "grupos radicais islâmicos" é somente um bando de matadores de aluguel contratados pelos EUA para manchar a imagem dos verdadeiros governos daqueles países. A intenção por trás disso, desde os anos 1980, é claramente dominar a região para obter acesso irrestrito ao petróleo em abundância. Os poucos que realmente estão guerreando contra os EUA não assassinam seu próprio povo e estão fazendo o que qualquer pessoa com senso de patriotismo faria - defendendo seu país.


FINANCIAMENTO DE TERRORISTAS É MANOBRA VELHA DOS EUA

A mentira é tão natural para os EUA que, aos ouvidos dos desavisados, soa como verdade. Um claro exemplo de manipulação dos fatos culminou na prisão de Saddam Hussein em 2005. O então presidente George W. Bush declarou que Hussein - que inclusive é parte do sobrenome do atual presidente dos EUA, Barack Hussein Obama - possuía armas de destruição em massa para poder persegui-lo. O que a mídia não comentou e o povo esqueceu, é que os EUA destruíram todas as armas químicas e nucleares do Iraque em 1991, após a Operação Tempestade no Deserto. Tecnicamente, a morte se Saddam Hussein foi um assassinato sem motivo, a não ser se apossar do petróleo iraquiano.

A Al-Qaeda, tão mal falada pelos EUA, foi criada por eles mesmos nos anos 1980. Inclusive, o líder da mesma, que tratou pessoalmente com a CIA sobre envio de armas e fundos, era Osama Bin Laden - acusado e morto por ter alegadamente tramado o ataque de 11 de setembro de 2001 às Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, um atentado que cada vez mais soa como trabalho interno de falsa bandeira. Com o ISIS, a situação é a mesma.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...