OS NOVOS FÜHRERS! THE NEW FÜHRERS!

OS NOVOS FÜHRERS! THE NEW FÜHRERS!

Passada a Eleição, Alckmin Pede Água Para Dilma



O PiG escondeu a falta d’água na eleição. Impeachment, Ataulfo ?

Estarrecedor, amigo navegante:

O “picolé de chuchu” é mesmo muito sonso e dissimulado. Nesta quarta-feira (29), passados três dias do segundo turno das eleições, finalmente Geraldo Alckmin pediu socorro ao governo federal para enfrentar a grave crise de abastecimento de água em São Paulo. Num verdadeiro estelionato eleitoral, que justificaria até a abertura de processo de impeachment, o governador tucano sempre negou a tragédia que aflige 8,8 milhões de paulistas abastecidos pelo Sistema Cantareira. Em fevereiro passado, a presidenta Dilma Rousseff alertou o governo estadual e se prontificou a dar todo o apoio para solucionar o problema. Geraldo Alckmin, que concorria à reeleição, negou a ajuda. Agora, ele pediu água!

Segundo a mídia “privada” – nos dois sentidos da palavra –, o governador já solicitou reunião de emergência em Brasília. A imprensa tucana, que foi cúmplice deste crime eleitoral, agora apela para a generosidade do Palácio do Planalto. Alckmin pretende pedir “recursos financeiros e desoneração de impostos” do governo federal, segundo relato da Folha. Ele também apresentará outras propostas emergenciais para enfrentar a gravíssima crise de água. Na maior caradura, o tucano reeleito no primeiro turno afirma que “a eleição já acabou e nossa disposição é do diálogo e da cooperação… O governo federal é um grande parceiro”. Os paulistas que acreditaram no “picolé de chuchu” já devem estar arrependidos!

Mas o estelionato eleitoral do PSDB, que governa o Estado há duas décadas, não deve ficar impune. Os movimentos sociais devem ir às ruas para denunciar a falta de investimento e de planejamento neste setor vital para a sociedade. Centrais sindicais, movimentos de moradia e entidades da juventude já articulam um protesto diante do Palácio dos Bandeirantes. Nesta quinta-feira (30), ocorrerá um encontro na sede do Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente) para discutir a grave crise hídrica em São Paulo e as formas de resistência da sociedade. “Precisamos da ajuda de todos na mobilização dos movimentos sociais contra este crime”, conclama Adilson Araújo, presidente da CTB.


FONTE: Conversa Afiada / Altamiro Borges / Valor Econômico

HOAX: A Terra Vai Realmente Ter Seis Dias de Escuridão Em Dezembro de 2014?



O administrador da NASA Charles Bolden confirmou que a Terra passará por seis duas de escuridão total em dezembro de 2014, diz uma notícia divulgada por diversos sites.

Mas não há nada a temer, pois ela não passa de um hoax; uma mentira.

O artigo criado pelo site Huzlers.com, que produz notícias falsas em tom satírico (o equivalente brasileiro seria O Sensacionalista), acabou sendo confundido por blogueiros e mesmo jornalistas - em geral, aqueles que não leem e não pesquisam antes de postar qualquer coisa - como uma notícia verdadeira.

Segundo o artigo, um apagão mundial tomaria a Terra entre os dias 16 e 22 de dezembro devido a uma gigantesca tempestade solar que cobriria 90% da luz do Sol com poeira e destroços.

A mesma notícia, com algumas pequenas diferenças, já havia circulado pela internet em 2012.

Golpe Eleitoral: Instituto Veritá Admite Ter Divulgado Números Errados Para Beneficiar Aécio Neves"; Sensus Não Admite Erro



Principais derrotados pelo resultado que deu a Dilma Rousseff (PT) a reeleição contra o tucano Aécio Neves (PSDB), os responsáveis pelos institutos Sensus e Veritá justificam as diferenças apontando que seus estudos já mostravam uma tendência de queda do candidato do PSDB.

Além disso, o sócio do Veritá, Leonard de Assis, ainda confirmou que o instituto fez uma pesquisa que apontava Dilma à frente, mas que ela não foi divulgada.

Leonard de Assis confirmou que houve pressão externa sobre a empresa para não revelar vantagem da presidente.

Na véspera da eleição, ele revelou no Twitter que Dilma estaria à frente, ao contrário dos levantamentos anteriores. Ele ainda afirmava que seu sócio estaria "recebendo pressão" para divulgar resultado diferente.

"Não sei se ele resistiria", disse no Twitter.



Procurado pelo Olho Neles após o resultado, Leonard de Assis, em conversa gravada, confirmou o que disse no Twitter.

"Eu afirmo isso. Eu divulguei os 53 a 47 por causa disso. Estava começando a arranhar o nome da empresa. Eu pensei: vou divulgar isso aqui de antemão pra mostrar que os métodos que nós estamos usando estão corretos. Isso aqui é o que tem pra acontecer", afirmou, reforçando que foram feitas três pesquisas, mas a última, justo a que dava vantagem a Dilma, não foi divulgada no sábado, como previsto. A que foi divulgada no dia 21/10 mostrava Aécio com 53,2% e Dilma com 46,8%.

Questionado se o método utilizado nas três pesquisas foi o mesmo, ele afirmou que foi 'aprimorado'.

"Fomos ajustando os métodos, até chegar a um valor correto, a quantidade certa de entrevistas para cada método". Leonard afirmou que nem sempre os erros são por culpa dos institutos. "Se eu fizer uma coleta só por telefone, dependendo da lista de telefones que chegar em minhas mãos eu vou ter um resultado ou outro", explicou.

Reprodução/Folha


Sensus

O proprietário do instituto Sensus, Ricardo Guedes, destacou que a empresa teve bom desempenho no primeiro turno.  "Fomos o instituto que mais se aproximou dos resultados", avaliou. Ele discorda que houve erro no segundo turno.

"Nossos resultados indicaram empate técnico, Aécio 52,1%, Dilma 47,9, para margem de erro de 2,2%, com possibilidade tanto para Aécio neves como para Dilma", contou.

Ainda assim, os resultados oficiais do TSE ficaram fora da margem de erro. Dilma registrou 51,64% e Aécio, 48,36%. Guedes justifica:

"Logo após o início do 2º turno, houve forte transferência dos votos de Marina Silva para Aécio Neves, que foram se diluindo ao longo do 2º turno, indicando queda das intenções de voto de Aécio Neves", afirmou.

O diretor do Sensus nega que tenha recebido qualquer reclamação sobre o resultado.
_________________________________________________________________________________

NOTA: O Conspiracy News Network foi um dos primeiros blogs a denunciar a farsa das pesquisas dos institutos Paraná, Sensus e Veritá.

EUA Deserdam Israel e Suécia Reconhece o Estado Palestino



"Uma combinação de fatores está levando os Estados Unidos a "deserdarem" Israel, um regime que não vai durar um mês sem o apoio dos EUA", diz um analista.

Mike Harris, editor do Veterans Today, argumenta que o povo americano - particularmente os jovens e com nível universitário - tem um "sentido implícito de justiça", que os afasta de Israel.

"Os americanos estão fartos com a influência significativa que Israel mantém sobre os corredores do poder em seu país", disse Harris à Press TV na quarta-feira (29). "Israel tem interferido no processo político dos EUA por muito, muito, muito tempo."

"Eles também estão indignados com a guerra injustificada de Israel e o massacre do povo palestino em Gaza", acrescentou. "O abate absoluto que Israel fez aos palestinos cria um senso de ultraje."

O analista afirmou que o povo americano está começando a ver através das "mentiras" que estão sendo alimentadas pelos meios de comunicação "controlados por sionistas".

"Os tempos estão mudando para Israel, eles gastam um monte de dinheiro para manipular a opinião pública, tudo de Hollywood e da mídia de massa é controlado pelos judeus (e) sionistas, e as pessoas percebem as mentiras que estão sendo contadas para eles em seus jornais em uma base diária", disse Harris.

Eventos anti-Israel nos campi universitários nos Estados Unidos mais que dobraram em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com um novo relatório.  A Liga Anti-Difamação, sediada em Nova York, disse em um relatório que o ativismo anti-israelense tem aumentado significativamente na sequência da recente onda de ataques que durou 50 dias na Faixa de Gaza sitiada.

"Isso vai continuar por algum tempo, e todo mundo sabe que sem o apoio dos EUA, Israel terá desaparecido em 30 dias", afirmou Harris.

Com o iminente deserdo de Israel pelos EUA, alguns países já começaram a pensar se não está na hora da criação do Estado Palestino. Alguns já deram sua opinião.

O governo sueco reconheceu nesta quinta-feira (30) por decreto o Estado da Palestina, o primeiro país ocidental da União Europeia (UE) a tomar esta decisão.

"Hoje, o governo toma a decisão de reconhecer o Estado da Palestina. É um passo importante que confirma o direito dos palestinos à autodeterminação", afirma a ministra das Relações Exteriores da Suécia, Margot Wallstrom, em um artigo publicado no jornal Dagens Nyheter.

"O governo considera que estão reunidos os critérios do direito internacional para um reconhecimento do Estado da Palestina: um território, mesmo sem fronteiras fixas, uma população e um governo", destaca o texto. "Esperamos que isto mostre o caminho a outros", completa a ministra.

A reação dos palestinos foi rápida. "O presidente palestino, Mahmud Abbas, comemora a decisão da Suécia e pede a outros países que sigam o exemplo", afirmou o porta-voz Nabil Abu Rudeina.

De acordo com uma contagem da agência de notícias France Presse, pelo menos 112 países reconhecem o Estado da Palestina. A Autoridade Palestina afirma que são 134, incluindo sete membros da União Europeia que teriam feito o reconhecimento antes de entrar para o bloco: República Tcheca, Hungria, Polônia, Bulgária, Romênia, Malta e Chipre.

Israel classificou de "deplorável" o reconhecimento, afirmando que a decisão apenas reforçará os extremistas.  "É uma decisão deplorável, que reforça os extremistas e a política de rejeição dos palestinos", afirmou em um comunicado o ministro das Relações Exteriores israelense, Avigdor Lieberman.
"A iniciativa sueca causa muitos danos e não tem utilidade alguma", insistiu.

Israel decidiu retirar o seu embaixador da Suécia depois de o governo do país escandinavo anunciar o reconhecimento.

Até o presente momento, o Estado da Palestina é reconhecido por 135 países. Há dois anos, a Assembleia Geral das Nações Unidas concedeu aos palestinos por maioria de votos o estatuto de "Estado observador" junto da ONU, reafirmando o seu direito à autodeterminação dentro dos limites dos territórios ocupados por Israel em 1967.

Hilariante: Desespero Toma Conta dos Anti-Povo 2

Como visto na postagem anterior, a turma da direita perdeu completamente a sanidade.

Querem Impeachment de Dilma pelo motivo mais esdrúxulo: não gostam dela. Se assim fosse, por mim, Geraldo Alckmin e o PSDB teriam feito suas malinhas há tempos. Viver sem água, eles vivem. Sob um governo democrático? Nunca!

Além dos gritos loucos da elite riiiiiiiiicccccccccccccaaaaaaaaaaa, outras pessoas aderiram ao movimento Maluquice Eleitoral 2014.

Danilo Gentili, aquele "humorista" sem graça, encabeça um movimento de Impeachment. São mais de 30 mil inscritos que irão às ruas de São Paulo pedir pela saída de Dilma no sábado, 1º de novembro. "Ou Dilma Cai, Ou São Paulo Sai do Brasil" é o slogan. Sendo assim, a certeza é só uma: São Paulo vai sair do Brasil. E se os "30 mil" forem os mesmos da "marcha" de segunda-feira, teremos novamente 30 pessoas falando asneiras na rua.

A loucura chegou a um nível extremo. Não há mais democracia, eles não aceitam o poder do povo.

Enviaram dezenas de mensagens às Forças Armadas pedindo um novo golpe militar. O primeiro, recheado de mortes, torturas e escravidão, parece que não bastou para eles. O exército, obviamente, taxou-os de loucos.

Não contentes, enviaram uma petição de Impeachment de Dilma para Washington, implorando a Obama que invada o Brasil. Claro, todos os países invadidos pelos EUA estão em situação de plena democracia, basta ver o caso do Iraque, Líbia, Afeganistão...

Impeachment sem provas? Seria a primeira vez no Brasil e uma verdadeira amostra da ditadura que Aécio queria implantar.

A gasolina vai aumentar, disso todos sabem. "Culpa do PT!", dizem os "bem infirmados", como se a gasolina nunca tivesse aumentado antes. Nos tempos de FHC, os aumentos eram de 20%, 30%. Agora, vai aumentar 4%. Claro, para eles, 4 é maior do que 30. É preciso distorcer os fatos matemáticos.

Agora falam em Brasil se transformando em Cuba. Isso só poderia acontecer se o desejo deles se realizasse e os EUA invadissem nosso país. Afinal, Cuba só está parada no tempo porque os EUA colocaram um embargo econômico contra ela há 55 anos. Por quê? Os cubanos, encabeçados por Fidel, se recusaram a entregar o país aos EUA.

Como a história de Cuba já cansou, eles inventaram agora que as políticas sociais do governo são parte de um golpe Bolivariano.

Ontem, vetaram um projeto que daria mais direitos aos cidadãos e implantaria mais programas sociais. Eles acham que dar condições ao povo é Bolivarianismo - a certeza é de que eles não sabem o significado deste termo. Isso mostra o quanto interessados no crescimento da população mais pobre eles estão: zero.

Dilma quer dar internet banda larga para o país inteiro praticamente de graça. Eles não querem. Por quê? "É Bolivarianismo!".

O governo propões que a imprensa tenha poder monetário controlado, o que evitaria a veiculação de mentiras como as vistas na VEJA lançada na véspera das eleições. Eles não querem. "É Bolivarianismo!".

Plebiscito para a Reforma Política? "Bolivarianismo!".

Ou seja: eles são mais ditadores, comunistas e fascistas do que dizem que o governo é.

Já virou palhaçada. Quem sair na rua neste sábado para pedir um Impeachment sem o mínimo de respaldo só vai ser cúmplice de uma camada política que se ressente de ter perdido a teta e quer ela de volta a qualquer custo.

Tirando o fato de que este pedido de Impeachment não tem qualquer validade ou motivo, o povo não vai deixar que o seu governo seja destituído em nome da posse de uma nova ditadura que beneficia somente a classe alta.

No Brasil, O POVO NÃO É BURRO.


Hilariante: Desespero Toma Conta dos Anti-Povo

Os amigos vão ter que me desculpar se eu escrever uma palavra errada. Estou rindo tanto com algumas declarações e "movimentos" elitistas desses últimos dias que quase nem consigo digitar.

De domingo até hoje (29) houveram ondas de xenofobia, uma verdadeira demonstração mesquinha de uma elite criada a caviar que acha que os pobres não têm direito de crescer na vida. Não é de rir, é de chorar, mas optei por rir da cara desses palhaços seres.

Em São Paulo, um enorme protesto tomou conta das ruas: 30 pediam o Impeachment de Dilma. 30 mil? Não. 30. T.R.I.N.T.A. Trinta idiotas pessoas.

São Paulo está sem água pela incompetência do PSDB, mas continua elegendo os candidatos do partido. Vai entender essa "massa cheirosa".

Ah, sim, já entendi: a elite não está nem aí se o Estado está sem água. Eles compram água importada. Don Perrier. Vivre la France e f***-se o povo. O PSDB dá essa oportunidade. Que continue destruindo o povo.

A VEJA mentiu e o STF provou isso. Foi um truque eleitoreiro, uma tentativa de golpe. Golpe aplaudido pela elite e defendido pelas mentes fracas de parte do povo. A Globo tentou o mesmo golpe e foi vaiada pelo povo e aplaudida pela elite.

Golpe da Globo? Legítimo. Vontade do povo? Manipulação. Assim funciona a mente doentia deles.

Um deputado protocolou o pedido de Impeachment de Alckmin. Inconstitucional, grita a elite. Outro protocolou o Impeachment de Dilma. Já estava na hora, disse a corja.

Dois pesos, duas medidas. Muita cara-de-pau e pouco óleo de peroba.

Agora querem recontagem de votos. Querem reverter a vontade popular a qualquer custo. O que está por trás disso? Claro: a elite precisa de mais poder do que já tem!

O martelo que quebra a cabeça do Chico não pode ser o mesmo que arrebenta com a do Francisco. Não, senhor!

Clamam que Dilma só ganhou porque quem votou nela ganha Bolsa Família ou tem cargo político. Mas aí eu acho que estou perdendo, não tenho nenhum dos dois. Alguma coisa está errada nesse pensamento deles.

Espera aí. A elite é ricaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!! Ela pode sair do país e viver em um local melhor, um local com uma bela ditadura democracia.

Tipo nos Estados Unidos. Para entrar lá basta somente ter um passaporte, concordar que você tem cara de terrorista e vai ser vigiado a todo momento, tirar toda a roupa no meio do aeroporto e deixar desconhecidos passarem a mão em lugares que nem você sabia que existiam. Só isso. Fácil, fácil.

Vão lá. Estão esperando o que? Este país não é para vocês; vocês mesmo disseram e continuam dizendo isso. Eu fico por aqui, crescendo e apoiando meu governo. Um dia nos encontramos de novo. Eu em um carro importado ou em um flat de hotel cinco estrelas. Você talvez lavando pratos ou servindo as pessoas em uma Taco Bell. É a vida.

À GLOBO E VEJA: O POVO NÃO É BURRO




Em 1989, a Globo, aliada a jornais e revistas no país inteiro, promoveu seu candidato: o "Caçador de Marajás" Fernando Collor de Mello. O opositor era ninguém menos que Luiz Inácio Lula da Silva.

Boni, o manda-chuva da Globo, providenciou as pastas vazias que Collor dizia conterem supostos dossiês contra Lula e glicerina foi usada para simular o suor do candidato alagoano. Boni admitiu isso em 2011.

Segundo a emissora, Collor acabaria com a corrupção, com os políticos que ganham muito e não fazem nada, com as mazelas da ditadura e com o desgoverno de Sarney. Mas ele só ajudou a aumentar tudo isso e criou um estado de pânico no país. Confiscou poupanças, criou planos monetários sem sentido algum, foi envolvido em maracutaias e acabou derrubado, veja só, por uma Elba. Impeachment em 2 anos.

Coube ao baiano Itamar Franco, vice de Collor, a tarefa de reparar os prejuízos. A inflação estava na casa dos 900% e era preciso um novo plano monetário forte e consistente para que o país não decretasse falência. Itamar criou o Plano Real e conseguiu, em meros dois anos, baixar a inflação para 1,7%. Como é de costume, Fernando Henrique Cardoso, que assumiu a Presidência em 1994, roubou a autoria do Plano Real e se vangloriou pela queda da inflação.

Ao contrário do que Aécio Neves passou a eleição inteira dizendo, FHC não criou o Real nem baixou a inflação. Na verdade, a inflação em seu governo chegou aos 16%. A Globo não falou disso, nem as revistas que a apoiam. Muito menos tocaram no assunto do Mensalão do FHC, que financiou a campanha do candidato mineiro do PSDB Eduardo Azeredo e reelegeu FHC. Todos lembram do "Valerioduto". Para quem não lembra, basta abrir um livro de História do Brasil.

A roubalheira do PSDB e FHC estava tão grande que a própria Revista VEJA se rebelou contra o governo e lançou sua ÚNICA CAPA contra um governo do PSDB, no ano 2000:



A lógica do povo elegeu Lula em 2002, que recebeu o país em um estado lamentável: quebrado três vezes, devendo trilhões ao FMI, sem políticas sociais, com a infame fila do desemprego, e sofrendo as mazelas deixadas por um presidente que só sabia dizer "apertem os cintos". A mídia, é claro, nem falava disso. Mas começou a cobrar ações de Lula já no primeiro mês de governo. Era o golpe antecipado.

Em 2004, pensando nas eleições de 2006, a Globo e a VEJA promoveram o Mensalão. O povo não se deixou enganar e reelegeu Lula. Isso não quis dizer que o povo era a favor da corrupção ou do Mensalão - que existiu, ninguém nega -, mas que quatro anos de um governo direcionado a melhorar a vida do povo mais necessitado foi uma conquista maior do que qualquer acusação. A diferença é visível: antes havia um governo que roubava e não repassava nada ao povo; agora, havia um governo acusado de roubar, mas que fizera o povo crescer e melhorar de vida.

Neste período, já acontecia o governo Aécio Neves em Minas Gerais. As acusações, muitas com provas, eram de ditadura, assassinato e construção de um aeroporto em uma propriedade da família Neves. Algo que certamente envergonhava o saudoso Tancredo, o avô de quem Aécio dizia ter tanto orgulho. Muito mais quando a fama de drogado, legítima ou não, chegou ao exterior. E o que falavam disso a Globo e VEJA? NADA.

Ao invés de noticiar imparcialmente, a Globo repercutia o que a VEJA chamava de "Mensalão 2" e supostos enriquecimentos ilícitos de Lula e seu filho. Nada disso provado, é claro. Era véspera de eleição presidencial, 2010 se aproximava, era preciso esconder os podres do PSDB falando inverdades sobre o PT. O povo necessitado, que foi imensamente ajudado com programas sociais reconhecidos mundialmente, não se deixou levar e confiou em Lula para eleger Dilma Rousseff.

Quatro anos se passaram e a História voltou a se repetir. VEJA e Globo em conluio tramaram a derrubada do governo e chamaram um candidato de carreira para tentar a vaga no Planalto. As Organizações Globo estavam mais furiosas do que nunca. Também, Lula cortara seu alimento, milhões cedidos por FHC através do BNDES, e eles não poderiam viver sem ter o dinheiro do povo para seus fins lucrativos. Agora, vale tudo.

E eles tentaram tudo. Acusações, Petrolão, enriquecimento da filha de Dilma. Promoveram Aécio a salvador da Pátria, o novo "Caçador de Marajás". Não é à toa que membros sérios da imprensa diziam se sentir novamente em 1989. Era o golpe chegando de novo. Sorrateiramente, a VEJA e a Globo preparavam-se para dar o bote na véspera do segundo turno.

A revista lançou sua capa midiática "ELES SABIAM DE TUDO", impugnada pelo STF como "propaganda paga em favorecimento de Aécio Neves" e "tentativa de influenciar o voto".

"A DEMOCRACIA BRASILEIRA assiste, mais uma vez, a setores que, às vésperas da manifestação da vontade soberana das urnas, TENTAM INFLUENCIAR O PROCESSO ELEITORAL por meio de DENÚNCIAS VAZIAS, que NÃO ENCONTRAM QUALQUER RESPALDO NA REALIDADE, em desfavor do PT e de sua candidata.", escreveu o STF.

Mesmo com o STF provando serem mentira todas as acusações, a Globo dedicou mais de dez minutos de seu principal jornal, o Jornal Nacional, à farsa da VEJA no intuito de fazer o eleitor indeciso - ou mesmo de Dilma - mudar seu pensamento e eleger Aécio. Isso, no dia 25 de outubro, a menos de 12 horas do início das votações. Era a última cartada. O último golpe. A Globo precisava voltar ao poder a qualquer custo.

No domingo, os ânimos estavam inquietos. As pessoas iam votar vagarosamente, muitas com semblantes indecisos e descontentes. Quase ninguém manifestava abertamente em quem votaria.

A Globo abre plantão: "Alberto Yusseff, o doleiro que fez as acusações no caso Petrobrás, foi levado às pressas para um hospital de Curitiba". A suspeita era de envenenamento. A Globo continuava infringindo a lei eleitoral mesmo com a Polícia Federal emitindo nota atrás de nota dizendo que Yusseff estava vivo e bem.

Mas era preciso, eles precisavam derrubar o PT de qualquer jeito. Tentaram, convenceram alguns indecisos. Mas não levaram. Dilma ainda ganhou, foi reeleita com mais de 51% dos votos.

O que ficou dessa demonstração vergonhosa da imprensa marrom é a noção de que, por mais que alguns ainda caiam em golpes, a maior parte do povo brasileiro, aquela que era pobre e sem futuro até 2002, sabe muito bem em quem vota. Sabem fazer o que os que votaram em Aécio não fizeram: abrir um livro de História do Brasil e ver o mal que os oito anos de FHC nos causou.

À VEJA e Globo, fica o recado: não tentem dar golpes novamente ou serão vocês os golpeados.

O POVO NÃO É BURRO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...